Democracia à lá Afeganistão

E tem gente que ainda acredita que democracia se resume à realização de eleições periódicas. Será?

Não há dúvidas de que eleições periódicas são um dos componentes fundamentais da democracia — talvez até mesmo o mais importante. Mas não pode haver democracia em um local no qual não há opções diferentes — não apenas formalmente diferentes, mas efetivamente diferentes. Não pode haver democracia em um local no qual não há liberdade de pensamento e de expressão, no qual não há respeito à opinião do outro, no qual não há possibilidade de dissenso.

Deixo a notícia abaixo como um exemplo de uma falsa democracia, e pelo motivo mais óbvio que existe: é possível haver democracia quando apenas um candidado concorre? Óbvio que não.

Afeganistão terá segundo turno com um só candidato, afirma comissão eleitoral

Abdullah Abdullah anunciou neste domingo (1º) sua saída da disputa.
Ele enfrentaria o presidente Hamid Karzai, que tenta a reeleição.

O chefe da Comissão Eleitoral Independente do Afeganistão afirmou neste domingo (1º) que o segundo turno da eleição presidencial do pais vai ocorrer mesmo depois da desistência do candidato oposicionista, Abdullah Abdullah.

A votação do próximo dia 7 será feita com um só candidato, o atual presidente, Hamid Karzai, que tenta a reeleição.

“Baseado nas leis eleitorais e baseado na Constituição, deve haver um segundo turno. A Constituição é clara, disse Daoud Ali Najafi, presidente da comissão.

Desistência

Abdullah confirmou neste domingo que não vai participar do segundo turno.

“Não vou participar das eleições”, disse o ex-chanceler Abdullah a seus partidários durante encontro em uma loya jirga (assembleia de notáveis) em Cabul. “As ações equivocadas do governo e da comissão eleitoral afegã me levam a não participar.”

Depois, em entrevista, afirmou que deixará a seus partidários a decisão de votar ou não nas eleições.

“Deixo a decisão para meus fieis e meus partidários”, declarou, assegurando que não mudará de opinião. “A decisão é definitiva. Esta decisão não foi tomada em troca de nada e por parte de ninguém”.

O presidente Karzai declarou que a eleição será realizada apesar da retirada de seu oponente. “Nós achamos que a eleição deve ser realizada e o processo completado. Quero dar ao povo do Afeganistão o direito de votar”, disse.

Ele também acrescentou que qualquer decisão da comissão eleitoral seria respeitada.

Suspeita de fraude

Boatos de que Abdullah iria boicotar o segundo turno do pleito corriam desde o sábado, divulgados por aliados do candidato. O argumento é que as eleições seriam marcadas por fraude.

O resultado inicial do primeiro turno deu a vitória a Karzai. Mas denúncias de fraude e a pressão ocidental levaram à anulação de milhares de votos, e a comissão eleitoral acabou alterando o resultado, o que levou a decisão para o segundo turno.

(Original aqui.)

Deixe um comentário:

%d blogueiros gostam disto: