Em nota, Joaquim Roriz diz que ficha limpa é ‘injusta e violentadora’

Supremo confirmou aplicação do texto integral da lei. Ex-governador do DF está inelegível por ter renunciado ao Senado

Por meio de nota, divulgada nesta quinta-feira (16), o ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz disse aceitar de forma “calma e serena” a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou a validade do texto integral da Lei da Ficha Limpa.

Quatro vezes governador do DF, Roriz afirma na nota que o STF tirou da população do DF o “direito” de elegê-lo governador em 2014.

“Infelizmente, hoje, o Supremo Tribunal Federal lhes tirou o direito de, soberanamente, escolher o melhor nome para governá-los em 2014, como já fizera em 2010, ao decidir não decidir, mutilando o processo eleitoral brasiliense”, afirmou na nota.

Barrado pela lei, Roriz desistiu de disputar as eleições de 2010 para o governo do DF. Ele teve o registro de candidato negado, com base na ficha limpa, por que renunciou ao mandato de senador, em 2007, depois de protocolado contra ele pedido de abertura de processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética do Senado.

Com base na Lei da Ficha Limpa, Roriz está inelegível durante o restante do mandato ao qual renunciou e nos oito anos seguintes. Dessa forma, o ex-governador não poderia se candidatar até 2023, quando terá 86 anos.

“Como democrata e homem público que sempre respeitou as leis e as cortes do meu País, acato a decisão do Supremo Tribunal Federal de maneira calma e serena. Respeito-a, embora a considere injusta e violentadora do meu direito de participar mais ativamente da vida pública da minha Brasília e do meu Brasil”, afirmou o ex-governador.

(Original aqui.)

Comentário final: não podemos negar que Roriz é um homem de coragem… Coragem de afirmar que a lei da Ficha Limpa é “injusta e violentadora”. Sem dúvida é um imoral.

Deixe um comentário:

%d blogueiros gostam disto: