Serra minimiza importância de debate com Aníbal e Tripoli antes das prévias

O ex-governador José Serra minimizou a importância de um debate com seus adversários na disputa interna do PSDB, José Aníbal e Ricardo Tripoli. Tucanos engajados nas campanhas de Aníbal e Tripoli fizeram na noite desta terça-feira, 13, um ato para pedir a realização de um encontro com Serra.

Para afastar a necessidade de um debate, a equipe do ex-governador sustenta que sua agenda está lotada e que suas prioridades devem ser eventos com militantes.

“Eu estou preocupado agora em ter contato com os militantes. É isso o que eu estou fazendo o tempo inteiro”, afirmou o ex-governador.

Desde que entrou na disputa, Serra evita comentar a proposta de debate levantada por Aníbal e Tripoli. Ele alega que a decisão sobre a realização de um encontro é da executiva municipal do PSDB. A direção do partido, no entanto, ainda não se moveu para deliberar sobre o assunto.

Quando Serra anunciou sua entrada na disputa e seus aliados solicitaram o adiamento da previa do partido do dia 4 para o dia 25 de marco, Aníbal e Tripoli pediram a realização de dois debates entre os três pré-candidatos. Segundo eles, debater o município seria a única justificativa para transferir a data da eleição interna. Serristas chegaram a negociar com Aníbal e Tripoli a realização de debates, mas não houve concretização.

Vitória. Aliado de Serra, o secretário Andrea Matarazzo demonstrou preocupação em relação a necessidade de uma vitória folgada do ex-governador na prévia do dia 25. Reportagem publicada esta terça-feira pelo Estado mostra que o ex-governador tem o apoio dos presidentes de 20 diretórios do partido no município, contra 8 de Aníbal e 8 de Tripoli. Outros dirigentes não se manifestaram.

“Não basta ganharmos a prévia. Temos que ter uma diferença grande de votos para mostrarmos aos nossos adversários que somos fortes”, disse Matarazzo.

(Original aqui.)

Comentário: se compararmos a situação acima apresentada com as prévias que estão ocorrendo neste momento nos EUA, veremos quanto chão ainda falta ser percorrido pelo Brasil até efetivamente ampliar sua democracia. E isto porque estamos falando de uma eleição municipal… Sendo que a situação se repete quando são eleições gerais. O déficit de democracia ainda é alto no Brasil.

Deixe um comentário:

%d blogueiros gostam disto: