‘Provarei que sou inocente’, diz Demóstenes Torres

O senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) participou na manhã desta quinta-feira da reunião do Conselho de Ética da Casa. Demóstenes chegou de surpresa, sorridente, cumprimentou os colegas e falou pela primeira vez, reafirmando que vai provar sua inocência. Em uma situação constrangedora, depois de cinco senadores serem sorteados e se recusarem a assumir a relatoria do processo por quebra de decoro contra Demóstenes, o senador Humberto Costa (PT-PE) aceitou a função e será o relator no Conselho de Ética.

O primeiro sorteado foi Lobão Filho (PMDB-MA) e, na sequência, Gim Argello (PTB-DF) , Ciro Nogueira (PP-PI), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR)

Usando seu conhecimento do Regimento interno do Senado e sua experiência de jurista, Demóstenes tenta obstruir o processo contra ele no conselho.

O ex-líder do DEM na Casa, que já foi notificado sobre a abertura de processo no Conselho de Ética contra ele, disse que apresentará sua defesa prévia por escrito:

– Quero provar minha inocência no mérito. Provarei que sou inocente – disse o senador, que falou pela primeira vez após divulgação de sua ligação com Carlinhos Cachoeira.

– Até agora eu não tive oportunidade de me defender – completou.

Ele questionou a escolha de do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) como presidente interino, sem eleição, usando como critério o fato de ser o mais velho. Após o questionamento, o conselho formalizou a eleição de Valadares na presidência. Na votação secreta, Valadares obteve 12 votos favoráveis e uma abstenção. O processo de quebra de decoro contra Demóstenes será presidido por ele, que ocupava a função interinamente. Renan tentou, sem sucesso, convencer os senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) e Waldemir Moka (PMDB-MS) de ocupar a presidência do colegiado.

Demóstenes, que andava sumido da Casa, já havia ido ao Senado na quarta-feira, mas entrou por uma porta lateral e foi direto para a Presidência da Casa, onde se reuniu por cerca de 15 minutos com José Sarney (PMDB-AP), a quem disse que é inocente e não renunciará ao mandato. O senador registrou presença em plenário.

(Original aqui.)

Deixe um comentário:

%d blogueiros gostam disto: